• Pr. Manolo Damasio

17 - Maturidade emocional

“Todos nós sempre cometemos erros. Quem não comete nenhum erro no que diz é uma pessoa madura, capaz de controlar todo o seu corpo.” Tiago 3:2, NTLH.

“Uma pessoa correta traz bênção para a vida dos outros, e quem aumenta o número de amigos é sábio.” Provérbios 11:30, NTLH.


Nos próximos dias, estaremos trabalhando nosso ser espiritual para que possamos ser uma bênção aos que nos cercam, na medida em que investirmos tempo para lidar com as nossas emoções. A cada dia estaremos dando um passo para desenvolver e melhorar nossa maturidade emocional.

Ao longo do tempo, tenho entrado em contato com pessoas que deixaram suas igrejas e tenho reparado que uma boa parte delas não o fez por problemas doutrinários, mas por mágoas que sofreram por parte de alguém que não as tratou como gostariam. Por outro lado, quantas pessoas sofrem em seus lares, no trabalho ou na escola porque têm dificuldades em se relacionar, seja por estarem cercadas de pessoas “difíceis”, seja pela própria incapacidade de lidar com as suas emoções.

Quando Deus nos criou, também determinou que passássemos por um período de desenvolvimento. Não nascemos prontos. Leva um bom tempo até chegarmos ao pleno potencial de nosso ser. Não podemos exigir de uma criança as mesmas respostas de um adolescente, que também não são as mesmas respostas de um adulto. Até mesmo a vida espiritual exige desenvolvimento.


“E quando uma pessoa ainda está vivendo de leite, isso demonstra que ela ainda não foi muito longe na vida cristã, e não sabe muito sobre a diferença entre o certo e o errado. Ainda é um cristão bebê! Vocês não poderão comer alimento espiritual sólido enquanto não se tornarem melhores cristãos, e não aprenderem a distinguir o certo do errado por meio da experiência em fazer o que é correto.” Hebreus 5:13 e 14, BV.

A maturidade envolve alcançar o pleno potencial do nosso ser, conforme o plano do Criador para cada um de nós. A maturidade pode ser dividida em quatro dimensões principais:

Maturidade física Engloba o desenvolvimento das características físicas, estatura, peso, sexo, etc.

Maturidade social Compreende a evolução da sociabilidade, no sentido de superação do egocentrismo infantil, na contribuição para o bem-estar social e a participação nas decisões de interesse social.

Maturidade intelectual Refere-se à maneira como a pessoa vai conhecendo-se a si mesma e o mundo que a cerca.

Maturidade emocional Diz respeito à expressão e ao controle das emoções no decorrer dos anos – parte fundamental da vida humana.

Livros como Inteligência Emocional, escrito por Daniel Goleman, refletem a importância que o mundo tem dado à maturidade emocional. Não basta apenas ter a capacitação técnica (o saber fazer) para se ter sucesso, é preciso saber relacionar-se, e isso envolve a capacidade de lidar com as próprias emoções e as dos outros.

Da mesma forma que o exercício físico ajuda no desenvolvimento do corpo, é possível também o desenvolvimento emocional.

Nos próximos dias, ofereceremos algumas ferramen- tas que poderão auxiliá-lo nessa tarefa.

A pessoa madura tem um sentido prático do que pode e não pode fazer. Geralmente, sente-se feliz em ser uma pessoa que usa e desenvolve a maior parte dos seus talentos e do potencial que possui. Reconhece suas limitações, mas isso não é motivo para deixar de realizar o que precisa ser feito. Paulo afirma:


“Agora, sinto-me feliz em me gloriar de ser tão fraco; estou feliz em ser uma demonstra- ção viva do poder de Cristo, em vez de alardear meu próprio poder e meus talentos.” 2 Coríntios 12:9, BV.

Você se sente uma pessoa madura emocional e espiritualmente? Que tal orar por isso agora?

O indivíduo emocionalmente maduro é ativo e produtivo. A pessoa madura não se considera uma vítima passiva das circunstâncias. Vê seu trabalho como um importante meio de sua própria expressão e como uma ajuda para seu crescimento pessoal. É capaz de ser espontâneo e vive sua vida de forma completa e criativa.

Um outro sinal de maturidade emocional é a capacidade de renunciar aos prazeres de curto prazo em benefício dos objetivos de longo prazo. Dessa forma, exerce um controle racional sobre suas emoções e desejos. Quando alguma satisfação imediata entrava seus planos, é capaz de disciplinar-se e evitá-la. Todavia, não é uma pessoa reprimida. Não deseja nem requer autodisciplina estrita: só a necessária para viver feliz.


“Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas.” 1 Coríntios 6:12, AC.

A pessoa madura pode relacionar-se com os outros sem medo, nem tensão. Tem amigos no trabalho, é capaz de querer pessoas à sua volta e interessar-se por elas. Relaciona-se bem com os outros e considera sua ami- zade uma forma de adicionar mais valores à sua vida e à dos outros, ela traz bênção para a vida dos outros.

A capacidade de se adaptar às mudanças é outro sinal de maturidade emocional. Isso significa que a pessoa é flexível. Quando surgem novas situações que tornam seus hábitos ineficazes, o que causa ansiedade e insegurança, ela não trata de lidar com essa situação ignorando as inovações ou aferrando- se ao seu sistema antigo; ao contrário, vê a inovação de forma realista e se adapta às novas circunstân- cias para que sua conduta seja efetiva novamente. Aceita e segue ordens, e quando toma a posição de líder, proporciona direção, tendo em grande estima os sentimentos dos outros.


Consegue fazer sugestões para melhorar o funcionamento do tra- balho sem ressentir-se caso não sejam aceitas. Tiago lembra que:


“quem não comete nenhum erro no que diz é uma pessoa madura.” Tiago 3:2, NTLH.

A maturidade emocional também pode ser revelada na pessoa que não se envolve em preocupações excessivas, dúvidas irreais; não “sonha acordado” nem permite que seja possuído por tristezas constantes. É um ser humano, e quando há uma boa razão para sentir-se mal, assim acontece, mas geralmente não o faz sem razão. Não guarda dúvidas concernentes a si mesma a ponto de provocar suspeita nos outros. Pode sonhar acordado em algumas situações, mas não substitui sua maneira de viver por esses sonhos. Ao verificar que tem problemas em qualquer área, é capaz de buscar ajuda profissional para prevenir alterações em seu bem-estar ou daqueles que vivem com ela.


“Dieta” para a saúde emocional - Por Russell J. Holt

Reduza seus desejos de bens materiais Se não está agradecido e alegre com o que tem, você se sentirá descontente, ainda que tenha dinheiro em abundância, pois, quanto mais tiver, mais desejará ter. Desse modo, à medida que aumentarem seus bens, aumentariam suas preocupações. Assim ensinou Cristo:

“Pois onde estiverem as suas riquezas, aí estará o coração de vocês.” Mateus 6:21, NTLH.

Reduza suas exigências Não exija perfeição nem espere encontrá-la nos outros. Não a busque. Poupe muitas dores de cabeça. Suas exigências excessivas podem significar que padece de uma enfermidade: querer dominar os demais. Pratique a delicada arte de esquecer e per- doar... inclusive a si mesmo.

Reduza suas fantasias Saia de seu mundo ilusório. Tenha alvos e aspirações realistas e evitará fracassos e desilusões. A verdadeira felicidade tem uma base sólida. Fixe alvos de acordo com seus talentos e possibilidades e trabalhe para tornar seus sonhos em realidade... Deixe de “sonhar acordado”.

Reduza suas dívidas Afaste-se do perigo das dívidas: perigo financeiro, mental e emocional. Você conhece alguém que tem dívidas e é feliz? Reduza suas dívidas e aumentará seu senso de segurança.

Reduza sua dependência do que é externo Muitos se sentem aborrecidos porque dependem demasiado do rádio, da televisão e do celular. Se desejar ser mais feliz, utilize mais suas mãos e sua cabeça: cultive um jardim, colecione selos, leia, estude a natureza, etc. Utilize seus talentos e habilidades.


Reduza suas diferenças com os demais Não brigue pela moda ou costumes dos demais. Todos – inclusive você – temos diferentes valores e atuamos em níveis distintos, mas todos desejam a auto-realização. E lembre-se: nos assuntos de capital importância, há pouca ou nenhuma diferença entre as pessoas. Frente a uma catástrofe, quão pouco valem as chamadas “coisas de valor”!

Reduza suas antipatias Essas representam uma liberação emocional equivocada. Sua antipatia faz com que certas pessoas ou coisas reflitam seus temores, inveja ou incompreensão. Enriqueça sua vida emocional com grandes doses de amor, paciência compreensão e tolerância, e desfrutará de felicidade.

Reduza seu desgaste nervoso Milhares estão morrendo de fome. Milhões não conseguem trabalho. Por toda parte vemos a discriminação, a injustiça e outros males semelhantes, mas não deixe que as condições negativas do mundo venham a deprimi-lo e desgastem a sua energia emocional. Jamais permita que os males políticos e sociais o perturbem.

Reduza suas dúvidas Quer viver infeliz? Duvide de todos e de tudo... até de você mesmo. As dúvidas e suspeitas irão convertê-lo em um verdadeiro paranóico. Se você duvida de sua capacidade para encontrar trabalho e mantê-lo, ou se terá êxito em seus negócios ou estudos, está se preparando para o próprio fracasso.

Esse regime vai ajudá-lo a eliminar seu “sobrepeso” emocional e você se tornará mais ágil – psicológica e socialmente – para correr alegremente a grande carreira de sua vida. Lembre-se: Cristo, diariamente na vida, é o Fator No 1 para se atingir a plena maturidade, então:

“Quando vos assaltam tentações, quando vos rodeiam cuidado e perplexidade, quando, deprimidos e desanima- dos, vos achais prestes a ceder ao desespero, olhai a Jesus, e as trevas que vos envolvem dissipar-se-ão ao brilho de Sua presença. Quando o pecado luta pelo predomínio em vossa alma, e sobrecarrega a consciência, olhai ao Salvador. Sua graça é suficiente para subjugar o pecado. Que vosso grato coração, trêmulo de incerteza, volva-se para Ele. Apoderai-vos da esperança posta diante de vós.” – CBV pág. 85.
“Não devemos fazer de nós mesmos o centro, ficando ansiosos e cheios de medo quanto à nossa salvação. Tudo isso nos desvia da Fonte do poder. Entregue a Deus a tarefa de salvá-lo, e confie nEle. Fale sobre Jesus e pense nEle. Que o próprio eu se perca nEle. Abandone a dúvida; esqueça seus temores.” – Caminho a Cristo, pág. 71.

Hoje é o décimo sétimo dia da Jornada e, graças à ajuda do Espírito Santo, você chegou até aqui. Parabéns!

Avance, cuidando do corpo e da mente.

Você quer estar em sintonia com a sabedoria divina? Vá agora à Fonte Ilimitada do Poder.


A diferença é a oração

“A oração é a resposta para cada problema da vida. Ela nos põe em sintonia com a sabedoria divina, a qual sabe como ajustar cada coisa perfeitamente. Às vezes, deixamos de orar em certas circunstâncias porque, a nosso ver, a situação é sem esperança. Mas nada é impossível com Deus. Nada é tão emaranhado que não possa ser remediado, nenhuma relação humana é tão tensa que Deus não possa trazê-la à reconciliação e à compreensão; nenhum hábito é tão profundamente enraizado que não possa ser vencido; ninguém é tão fraco que Ele não possa tornar forte. Ninguém é tão doente que Ele não possa curar. Nenhuma mente é tão obscura que Ele não possa tornar brilhante. Se alguma coisa nos causa preocupação ou ansiedade, paremos de propagá-la e confiemos em Deus por restauração, amor e poder.” Review and Herald, 7 de outubro de 1865.



Fonte: 2 Seminário de Enriquecimento Espiritual, DSA 2017.

0 comments

Recent Posts

See All
SOBRE NÓS

Somos uma comunidade cristã fundamentada na Palavra de Deus, que busca a unidade no Espírito para servir melhor o semelhante, até a volta de Jesus.

PROGRAMAÇÕES

SÁBADO

  9:30 am | Escola Sabatina

10:45 am | Culto de Adoração

  5:30 pm | Culto Jovem (2º e 4º sábado)

DOMINGO (North Dallas)

  6:00 pm | Séries especiais

QUARTA-FEIRA (temporariamente suspenso)

  7:30 pm | Reunião de oração

SE INSCREVA PARA
RECEBER NOTÍCIAS
  • Grey Facebook Icon
  • Grey YouTube Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Apple Music Icon
  • Grey Google Play Icon

© 2020 Dallas Brazilian Seventh-Day Adventist Church. All Rights Reserved.