• Pr. Manolo Damasio

02 - Deus quer que você viva +

“Se ouvires atento à voz do Senhor teu Deus e fizeres o que é reto diante dos Seus olhos, e deres ouvido aos Seus mandamentos, e guardares todos os Seus estatutos, nenhuma enfermidade virá sobre ti, pois Eu sou o Senhor Deus que te sara.” Êxodo 15:26.


O Ministério da Saúde apresenta, com base em atestados de óbito de todo o país, as causas de morte da população brasileira, separadas por faixa etária. Abaixo, temos no relatório de 2003 as cinco principais causas de morte da população adulta:



Antes da análise específica sobre os fatores de saúde, salta aos olhos o que a estupidez humana pode realizar: na faixa dos 25 aos 44 anos, quando o ser humano está no auge de sua força, pronto para empreender e realizar projetos, formar e desenvolver sua família, os três maiores índices de morte no Brasil são: 1o homicídio, 2o acidente de trânsito, 3o AIDS. Parece inacreditável!

Ações mais efetivas por parte de governadores e empresários seriam de grande importância para mudar as condições miseráveis de grande parte da população. Melhores condições sócio-econômicas provavelmente diminuiriam esse alto índice de homicídios.

A oficialização da educação para o trânsito nas escolas, tantas vezes tentada, poderia reduzir as mortes nas ruas e nas estradas.

E sobre a Aids, o que dizer? Enquanto as campanhas preventivas limitarem-se a distribuir preservativos, nada vai mudar por que o problema é de cunho moral.


O quarto índice, que é o primeiro efetivamente ligado a alterações na saúde, registra mortes por doenças cerebrovasculares. Que doenças são essas? São os distúrbios ocasionados principalmente pela falta (ISQUEMIA) ou explosão (HEMORRAGIA) sanguínea no espaço intracerebral. As isquemias devem-se à ausência de fluxo sanguíneo em uma região do cérebro obstruído por um trombo (trombose), formado por uma placa de ateroma (aterosclerose) que escapou de onde estava aderida. Doença cardíaca reumática também pode produzir trombose, bem como inflamações nas arté- rias. São chamados de AVC ou acidente vascular cerebral isquêmico. Quando ocorre uma isquemia cerebral, todo um conjunto de neurônios morre, ficando paralisada a parte do corpo comandada por aquela região: braços, pernas, lado da face, etc. Isso é conhecido vulgarmente por “derrame”, denominação que se aplica melhor às síndromes hemorrágicas. A hemorragia intracerebral resulta, geralmente, da ruptura de um vaso deformado por um ateroma (aterosclerose) exposto longamente à hipertensão arterial. As hemorragias podem ocorrer, teoricamente, em qualquer ponto do cérebro. No entanto, até por conta da maior pressão, ocorrem nas artérias maiores e próximas de regiões vitais, como o tronco cerebral que controla o coração e a respiração, tornando-se fatais.

Todos esses eventos citados, formadores de doenças cerebrovasculares, têm causas mais antigas e profundas, advindas dos hábitos de vida: alimentação baseada em gordura, massas, proteína animal em elevada quantidade, ausência de qualquer exercício físico, trabalho sob pressão, stress, etc.

Um dado muito interessante é que todos esses hábitos estão na raiz de outro desastre, o INFARTO do coração, que é o 5o maior motivo de mortes na faixa dos 25 aos 44 anos. Na faixa seguinte, dos 45 aos 64 anos, o INFARTO salta para o 1o lugar, seguido das doenças cerebrovasculares, numa inversão de prioridade. É como se, tendo alcançado a maturidade e desviando-se das causas insanas que determinam as primeiras causas de morte na faixa anterior, os indivíduos acima dos 45 anos cedam às benesses da prosperidade ou, no mínimo, da estabilidade, e sejam vitimados pelas doenças resultantes dos hábitos assassinos que desenvolveram e foram acariciados ao longo da vida adulta, em lugar de serem substituídos por hábitos saudáveis, produtores de vida longa e de boa qualidade.

Desenvolvendo hábitos de vida saudáveis você irá prevenir muitas dessas doenças terríveis e ainda terá melhores condições para uma comunhão mais íntima com Deus.

Nesta faixa, em terceiro lugar, vêm as doenças cardíacas (angina, insuficiência cardíaca congestiva, arritmias cardíacas, endocardite) nas quais também estão implicados hábitos nocivos de vida, cuja ação deletéria vai se agravando quanto mais crônicos sejam os quadros.

Em quarto lugar nas causas de morte na faixa entre 45-64 anos encontra-se o maior de todos os vilões da saúde: o DIABETES. Note-se que o diabetes está disseminado em todas as idades, mas só aparece como causa principal de morte após os 45 anos porque age sorrateiramente no organismo, destruindo-o inexoravelmente, não importa quanta medicação seja usada e, às vezes, por causa dos seus efeitos colaterais, como será explicado adiante.

O quinto fator de morte nesta faixa é a hipertensão que, na verdade, assina o atestado de óbito, mostrando sua verdadeira cara aqui, mas está presente de maneira secundária em praticamente todas as doenças cardíacas e cerebrovasculares. Na faixa acima dos 65 anos, as doenças cerebrovasculares assumem o 1o lugar, seguidas pelo infarto. As outras doenças cardíacas e o diabetes mantêm seus 3o e 4o lugares, sendo que nesta faixa as doenças pulmonares crônicas superam a hipertensão, matando aquelas vítimas que fez sofrer durante metade da vida.

A hipertensão aparece em 6o lugar, até porque nesta faixa o exercício, que era pouco, desaparece e os medicamentos, agora muitos, já não fazem mais efeito.

O que causa mais estupefação ao analisar esse quadro das causas de morte no Brasil é que, à parte os três primeiros índices da faixa etária 25-44 anos, já comentados, todas as enfermidades causa mortis no Brasil são passíveis de prevenção, cura ou, no mínimo, melhora em seus efeitos danosos à saúde pela substituição por hábitos construtores de organismos fortes, saudáveis e resistentes às doenças. Se houvesse levantamento estatístico de LONGEVIDADE (sem mortalidade infanto-juvenil) comparando as pessoas que mantém hábitos saudáveis, levando a sério o cuidado com sua estrutura física e mental, em relação à população em geral, a idade média dos primeiros provavelmente ultrapassaria os 90 anos!

E isto ainda não seria tudo. A maior vantagem é chegar lá inteiro: correndo, nadando, cantando, escrevendo e espalhando felicidade à sua volta. Quando veio pela primeira vez ao Brasil, o Dr. Scharfenberg, ex-professor da Universidade de Loma Linda, USA, na área da Saúde, e ex-departamental de Saúde da Associação Geral, perguntaram-lhe o que achava das pesquisas, então em fase inicial nos Estados Unidos. As pesquisas comparavam os adventistas com a população em geral e mostravam que o nosso povo apresentava apenas 50% das doenças. “Uma vergonha!”, respondeu ele, e acrescentou aos ouvintes estupefatos: “Se nosso povo seguisse a orientação divina e do Espírito de Profecia, não teria doença nenhuma.”

Nos anos seguintes, novas edições da pesquisa separaram os adventistas que não tomam cuidado especial em relação à saúde daqueles que seguem um estilo de vida conforme a orientação bíblica (Daniel, cap.1) e a mensagem de saúde do Espírito de Profecia. A realidade das palavras do grande educador americano apareceu com toda a clareza: “Nestes últimos, os índices de enfermidades em relação à população em geral apresentaram-se ao redor de 10%.”

Você tem feito a sua parte para que o povo de Deus seja um exemplo para o mundo? Quando se levanta, você tem ido à presença do Espírito Santo do jeito que está? Você sabia que a falta de relacionamento diário com Deus afeta o nosso discernimento? Fale então para Jesus que você quer viver em comunhão com Ele para levar a sério as coisas sagradas.

É isso o que se pretende alcançar com essa jornada espiritual: tornar fácil e prática para cada família adventista a adoção de hábitos que trarão saúde plena e longevidade a todos.

Lembre-se deste conselho para viver mais e com mais saúde:

Consagrai-vos a Deus pela manhã; fazei disto vossa primeira tarefa. Seja a vossa oração: “Toma-me, Senhor, para ser Teu, inteiramente. Aos Teus pés deponho todos os meus projetos. Usa-me hoje, em Teu serviço, permanece comigo, e permite que toda a minha obra se faça em Ti.” Essa é uma questão diária. Cada manhã, consagrai-vos a Deus para esse dia. Submetei-Lhe todos os vossos planos, para que se executem ou deixem de se executar, conforme o indique a Sua providência. Dia a dia podereis entregar às mãos de Deus a vossa vida, e assim ela se moldará mais e mais, segundo a vida de Cristo. – Caminho para Cristo, pág. 70.

 

Bora caminhar? Ontem nevou no Texas e para muitos ficou difícil encarar o clima lá fora. Mas, hoje será possível porque teremos um dia de sol, mesmo com as temperaturas baixas, entre 27 e 58F.


Coloque em sua mente: com Deus, desenvolverei novos hábitos nesses 40 dias, e depois continuarei a melhorar, sempre.


Em 38 dias você terá sentido uma grande diferença.

 

Você quer estar em sintonia com a sabedoria divina? Vá agora à Fonte Ilimitada do Poder.


A diferença é a oração

“A oração é a resposta para cada problema da vida. Ela nos põe em sintonia com a sabedoria divina, a qual sabe como ajustar cada coisa perfeitamente. Às vezes, deixamos de orar em certas circunstâncias porque, a nosso ver, a situação é sem esperança. Mas nada é impossível com Deus. Nada é tão emaranhado que não possa ser remediado, nenhuma relação humana é tão tensa que Deus não possa trazê-la à reconciliação e à compreensão; nenhum hábito é tão profundamente enraizado que não possa ser vencido; ninguém é tão fraco que Ele não possa tornar forte. Ninguém é tão doente que Ele não possa curar. Nenhuma mente é tão obscura que Ele não possa tornar brilhante. Se alguma coisa nos causa preocupação ou ansiedade, paremos de propagá-la e confiemos em Deus por restauração, amor e poder.” Review and Herald, 7 de outubro de 1865.



Fonte: 2 Seminário de Enriquecimento Espiritual, DSA 2017.

3 comments

Recent Posts

See All